As hipóteses de escrita: entenda como a sondagem da escrita funciona na alfabetização

Uma das tarefas mais difíceis na Alfabetização é planejar e produzir atividades que possam atender alunos de diferentes hipóteses de escrita. No post de hoje falaremos sobre essas hipóteses de escrita, como funciona a sondagem e sua função no processo de aquisição da escrita.

1# No final temos um bônus para você!

Diagnóstico na alfabetização

A sondagem de hipóteses de escrita funciona como um ditado diagnóstico a fim de verificar quais níveis de aprendizagem a criança se encontra, portanto as hipóteses de escrita são: pré-silábica, silábica sem valor sonoro convencional, silábica com valor sonoro convencional, silábico-alfabética e alfabética.

Segundo Emília Ferreiro,

“Quando uma criança escreve tal como acredita que poderia ou deveria escrever certo conjunto de palavras, está oferecendo um valiosíssimo documento que necessita ser interpretado para ser avaliado. Aprender a lê-las , interpretá-las é um longo aprendizado que requer uma atitude teórica definida.”

Portanto, este é um grande instrumento para o professor verificar e planejar as atividades e tipos de agrupamentos adequados para que seus alunos tornem-se alfabéticos. Leia também: A alfabetização construtivista.

O que é sondagem?

A sondagem é um ditado feito individualmente onde à criança escreve uma lista de palavras do mesmo campo semântico, ou seja, um conjunto de palavras unidas pelo mesmo sentido. Se o campo semântico escolhido for frutas, veja o exemplo:

Exemplo de como funciona a aplicação da sondagem

Esta lista de palavras também precisa seguir uma ordem no número de sílabas de cada palavra, que devem ser: polissílaba, trissílaba, dissílaba e monossílaba. Além das palavras ditadas, inclua uma frase ao final do ditado contendo uma das palavras já escritas.

Exemplo completo de como funciona a sondagem de escrita

É importante que a criança leia em voz alta cada palavra ditada. A leitura ajuda o professor perceber a relação do aluno com o sistema de escrita.

Por se tratar de uma atividade diagnóstica, a sondagem de hipóteses de escrita é realizada no início do ano letivo e no fim de cada bimestre,  pois é norteadora no planejamento de aulas para que o aluno avance e um registro importante para a evolução do trabalho desenvolvido.

Quais são as hipóteses de escrita?

Nível 1: Hipótese  Pré-silábica

Nesta hipótese a criança não busca correspondência com o som. A relação com a escrita é estabelecida com o tipo e quantidade de grafismos.

Principais características:

  • Desenhar e escrever tem o mesmo significado;
  • Não estabelece relação entre a escrita e a fala;
  • Escrita desordenada, sem distinção de letras, números e desenhos;
  • Garatujas (desenhos e/ou rabiscos ilegíveis );
  • As palavras representam os objetos e são proporcionais a eles (exemplo: formiga = palavra pequena, girafa = palavra grande);
  • Decora a palavra para a leitura;
  • Usa as letras do próprio nome em tudo;
  • Utilizam escritas iguais para palavras diferentes.
Exemplo de sondagem pré silábica com garatuja
Exemplo: Garatujas (desenhos e/ou rabiscos ilegíveis)
Exemplo de sondagem pré silábica
Exemplo: Hipótese Pré-silábica

O que fazer?

Desenvolver atividades que visam que o aluno:

  • Perceba a diferença entre desenho, número e letras;
  • Trace a grafia das letras convencionais;
  • Identifique e escreva seu próprio nome;
  • Conheça as letras e seus sons (sugestão: letras móveis).

Leia também: Como ensinar as letras do alfabeto

Nível 2 : Hipótese silábica sem valor sonoro convencional

Nesta hipótese a criança já entende a escrita como representação gráfica da fala. A relação com a escrita é estabelecida com o uso de uma letra para cada som.

Principais características:

  • Registra com uma letra ou outro sinal cada sílaba;
  • Escreve com uma quantidade mínima de letras e pouca variedade entre elas;
  • Não atribui valor sonoro ao que escreve.
Exemplo de sondagem com hipótese de escrita silábico sem valor sonoro
Exemplo: Hipótese silábico sem valor sonoro

O que fazer?

Desenvolver atividades que visam que o aluno:

  • Comparar e relacionar a escrita de palavras distintas;
  • Escrever palavras intensificando o seu valor sonoro;
  • Identificar os sons iniciais e finais de uma palavra.

Leia também: 10 ideias de atividades para alfabetização

Nível 3 : Hipótese silábica com valor sonoro convencional

Nesta hipótese a criança compreende que existe diferença nos sons das palavras e que são escritas de maneira diferente. A relação com a escrita é estabelecida com a correspondência de uma ou mais letras para cada sílaba de uma palavra.

Principais características:

  • Relaciona quantidade de letras a quantidade de sílabas;
  • Utiliza vogais ou consoante/vogal equivalente a alguma sílaba da palavra;
  • Pode ler silabando.
Exemplo: Hipótese silábica com valor sonoro

O que fazer?

Desenvolver atividades que visam que o aluno:

  • Aumentar o grau de dificuldade das atividades anteriores;
  • Identificar o número de sílabas de uma palavra;
  • Completar palavras;
  • Letras ou sílabas embaralhadas para formar palavras (letras móveis).

Nível 4: Hipótese Silábico-Alfabético

Nesta hipótese a criança compreende que as letras correspondem os sons de forma silábica. A relação com a escrita é estabelecida com o uso de vogais e/ou consoantes na escrita de palavras.

Principais características:

  • Faz uso de vogais e consoantes;
  • Pode omitir ou acrescentar letras;
  • Atribui o valor do fonema em algumas letras (kneta = caneta);
Exemplo: Hipótese Silábico-Alfabético

O que fazer?

Desenvolver atividades que visam que o aluno:

  • Aumentar o grau de dificuldade das atividades anteriores;
  • Associar palavras com sílabas iguais (Carolina- Camisa, Garrafa-Garoa);
  • Produção de pequenos textos;
  • Ditado de palavras em um texto;
  • Bingo de palavras.

Nível 5: Alfabético

Nesta hipótese a criança compreende a função social da escrita onde se escreve para alguém ler.

Principais características:

  • Reconhece o valor sonoro de todas ou quase todas as letras;
  • Percebe que a escrita não é uma representação fiel da fala e que por vezes pode haver variações (S/Z, C/S, J/G);
  • Pode omitir letras de determinada palavra (exemplo = Armário- Amario);
  • Pode trocar letras por sons parecidos (exemplo = Fivela – Vifela);
  • Pode inverter algumas letras numa determinada sílaba ( exemplo = Escada – Secada);
  • Preocupa-se com a ortografia;
  • Escreve frases sem segmentação (sem espaço entre uma palavra e outra).
Exemplo: Hipótese alfabética

O que fazer?

Desenvolver atividades que visam que o aluno:

  • Faça leitura de textos diversos;
  • Produza listas de palavras com sílabas complexas;
  • Produza texto com ênfase nos espaços entre palavras;
  • Ordene trechos de textos.

Quer dominar as hipóteses de escrita?

Que tal aprender mais sobre esse assunto com uma ABORDAGEM TOTALMENTE PRÁTICA e ORIENTAÇÕES AO VIVO? Acesse e confira!

 #Bônus – Lista de palavras do mesmo Campo semântico

Bônus de arquivo para download

Se você gostou deste artigo e quer ter acesso a novos conteúdos, assine este blog!

Aproveite e conte sua experiência nos comentários!

Até a próxima!

4 Comentários

  1. Avatar

    tatiana arriola

    Gostaria de receber mais informações sobre este blog maravilhoso

  2. Avatar

    VALÉRIA PEREIRA DA SILVA BRAGA

    Parabéns pela organização desse poste.
    Material muito bacana e organizado de forma sucinta, o que nos permite apresentar a temática, usando da otimização do tempo.
    Agradecida!
    Sou coordenadora pedagógica em Centro de atendimento Especializado e minhas professoras da Sala de Recursos Multifuncionais e as psicopedagogas utilizam bastante desse material para esclarecimento de indagações dos professores das salas regulares.

    • Que bom que o conteúdo do blog tem contribuído ao trabalho de vocês! Ficamos muito felizes por isso!
      Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *