É proibido usar o celular em sala de aula?

O uso do celular em sala de aula é polêmico. Apesar das controvérsias, o celular já é um item indispensável na mochila dos estudantes. Diante deste cenário, o que fazer? Descubra como utilizar essa tecnologia a seu favor e evitar conflitos em sala de aula. Confira!

Por que proibir o uso do celular em sala de aula?

O acesso à informação mudou muito nos últimos tempos. A evolução e novas tecnologias provocaram grandes mudanças na nova geração.

Há alguns anos atrás, se quiséssemos fazer uma pesquisa para um trabalho escolar era preciso ir a uma biblioteca ou perguntar a alguém que tinha a informação que precisávamos. Neste processo, perdia-se muito tempo para concluir uma pesquisa e muitas vezes não conseguíamos acessar todas as informações necessárias para um trabalho bem feito.

Atualmente, basta “dar um Google” para ter acesso a uma gama gigantesca de informações sobre qualquer tema. Essa é uma das grandes facilidades que a tecnologia nos trouxe.

Com o surgimento do aparelho celular e a propagação acelerada do seu uso pela maioria das pessoas, não era difícil imaginar que logo esse aparelho de internet móvel iria chegar ao ambiente escolar.

Por muito tempo, o uso do celular em sala de aula era intolerável tanto pelos professores quanto pela Lei que proibia o uso de celulares em horário de aula.

Com o número crescente de conflitos e falta de motivação durante as aulas (já que o celular é muito mais atrativo), foi necessário repensar a maneira como esse tipo de tecnologia é vista.

Algumas iniciativas foram tomadas para que o uso do celular em sala de aula ganhasse um objetivo pedagógico e não mais uma distração negativa aos estudantes.

Um exemplo de tais iniciativas, temos o governo do Estado de São Paulo que sancionou em outubro de 2017 o Projeto de lei que altera a lei 12.730/2007, onde proibia o uso de celulares em escolas do estado.


Atualização da Lei nº 16.567, de 06 de novembro de 2017:


Artigo 1º – Ficam os alunos proibidos de utilizar telefone celular nos estabelecimentos de ensino do Estado, durante o horário das aulas, ressalvado o uso para finalidades pedagógicas. 

Também podemos citar a atual postura da comunidade escolar que se tornou mais flexível quanto ao uso do celular em sala de aula, pois já é evidente que não só os estudantes, mas também os professores já fazem o uso contínuo dessa tecnologia no seu planejamento e desenvolvimento de suas aulas.

Portanto, proibir o uso do celular em sala de aula foi e continua sendo uma possível estratégia para garantir à atenção dos alunos na aula. Mas, diante de tantas transformações é importante entender que esse tipo de proibição, por vezes, não dá certo e pode instigar ainda mais o uso indevido do celular em sala de aula.

Não estou dizendo que se deve deixar que o uso do celular em sala de aula tem que acontecer sem regras nem moderação, pelo contrário! Quero dizer que proibir e gerar conflitos ainda maiores já nos mostrou que não é a melhor solução.

Então, por que não reverter esse “problema” a nosso favor? É possível ter resultados muito mais positivos dando utilidade a esses aparelhos no contexto pedagógico do que virar o fiscal chato de aparelhos celulares.

O uso do celular em sala de aula pode ser produtivo

O celular pode ser uma ferramenta importante na aprendizagem. O recurso que esse tipo de aparelho dispõe vai além do acesso à internet, já que a maioria dos celulares atuais contam com câmeras, gravadores, agendas etc.

Utilizar o celular em sala de aula de forma direcionada é uma alternativa para complementar o planejamento do professor, já que instantaneamente poderá ser feito pesquisas que buscam contribuir para uma aula mais rica.

Neste contexto, o aluno se torna mais participativo e em longo prazo passa a entender o uso do celular não só como um mero instrumento de entretenimento, mas também como um recurso importante que contribui para o seu aprendizado.

O uso do celular em sala de aula permite incrementar o conteúdo com recursos e ferramentas mais interativas que despertam o interesse e a participação do estudante no processo de ensino aprendizagem. Veja alguns desses recursos:

Redes sociais

Sim, utilizar as redes sociais para fins pedagógicos é totalmente possível. Quem nunca fez parte de um grupo no Whatsapp ou Facebook?

 Criar grupos de discussão como fóruns ou para troca materiais e conteúdos é uma prática que permite que o aluno expanda seus estudos num ambiente extra escolar, além de fazer com que o uso dessas redes sociais ganhe um objetivo mais positivo.

Materiais digitais

Atualmente, a maioriados livros e apostilas tem a sua versão digital. Consultar esse tipo de material no celular contribui para um maior aproveitamento do tempo e espaço.

Sites e aplicativos educativos

Há diversos sites e aplicativos disponíveis que permitem que os estudantes façam atividades, testes, consultas etc. Podemos citar como exemplos os dicionários online, jogos educativos, conversação de idiomas, vídeos no Youtube, entre outras diversas plataformas disponíveis para diferentes temas.

Armazenamento de dados

O Google drive é uma plataforma excelente para armazenamento de materiais. Nesta plataforma é possível compartilhar materiais como fotos, vídeos, arquivar trabalhos realizados pelos alunos, atividades disponibilizadas pelo professor e etc.

Pesquisas instantâneas

Como já foi dito, hoje em dia é muito comum “dar um Google”, o que significa que há uma grande facilidade em fazer uma pesquisa rápida neste site de busca.

Com o uso direcionado do celular em sala de aula é possível fazer pesquisas rápidas sobre algum tema levantado pelo professor, tirar dúvidas que surgi durante a aula, buscar outras referências sobre algum assunto etc.

São inúmeras as possibilidades que esta tecnologia proporciona contribuindo para a rotina escolar e a aprendizagem dos alunos. Porém é importante destacar que mesmo diante de todas as alternativas positivas quanto ao uso do celular em sala de aula, precisamos ficar atentos aos possíveis males que essa tecnologia também proporciona quando é usada negativamente.

A importância da moderação

Embora haja um grande avanço pedagógico ao utilizar a tecnologia no ambiente escolar, é necessário que se estabeleça regras quanto a finalidade e quando fazer o uso do celular em sala de aula.

O objetivo maior é fazer com que os alunos tenham consciência e responsabilidade em relação ao uso do celular e também respeitar o momento certo para utilizá-lo.

 Da mesma forma que o celular pode ser bem utilizado para fins pedagógicos, também pode prejudicar o andamento das aulas.

Distrações

Por ser uma fonte inesgotável de informações o celular pode se tornar um grande vilão na vida do estudante. Distrair-se em redes sociais é bastante comum, mas é preciso estar atento quando se perde tempo demais nessas redes. Isso pode atrapalhar a atenção e o rendimento.

Cyberbullying

O uso indevido do celular pode levar ao aumento da prática do bullying em ambiente escolar. O cyberbullying é o bullying em ambiente virtual, quando esse tipo de situação acontece é difícil identificar de imediato e muitas vezes podem criar proporções sérias.

Dificuldades nas interações pessoais

A tecnologia jamais poderá substituir as relações pessoas entre as pessoas. Embora a internet permita a interação constante com pessoas que não conhecemos pessoalmente ou que estão muito distantes, as interações presenciais permitem desenvolver muito mais habilidades.

Estar sempre interagindo virtualmente contribui para uma maior dificuldade em interagir socialmente, principalmente quando se trata de crianças e adolescentes.  

Conclusão

É importante estar atentos ao excesso. Todas as interações virtuais devem ser supervisionadas e sempre bem orientadas pelo professor e principalmente pela família.

 Daí a importância de estruturar estratégias e propostas que visem o planejamento escolar mais também a consciência na utilização das tecnologias.

O bom senso sempre deve prevalecer. A escola tem a responsabilidade de lidar com todos os benefícios e dificuldades que o uso do celular em sala de aula proporciona. Por isso, é importante assegurar moderações e a autorregulação quanto ao seu uso.

A família também tem um papel essencial no uso do celular. Orientar e acompanhar o que os filhos veem faz parte da educação.

Entender que o uso do celular deve ter um proposito e ser utilizado no momento certo, contribuirá para uma maior conscientização por parte das crianças e jovens, o reflexo disso observamos na escola.

Se você gostou deste artigo e quer ter acesso a novos conteúdos, assine este blog!

Aproveite e compartilhe nosso trabalho e ajude o Blog a crescer!

Conte nos comentários sua experiência com o tema do post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *